Objetivo de um projeto: Como implementar a metodologia F.R.E.E.

Objetivo de um projeto: Como implementar a metodologia F.R.E.E.

Na implementação de um processo de aquisição de novos clientes, o objetivo sempre será gerar novas vendas. Para isso, precisamos ter previsibilidade e também escalabilidade, como prevê a metodologia F.R.E.E. 

Para estabelecer ainda melhor os objetivos desse processo, podemos usar a metodologia F.R.E.E, que, em inglês, significa “livre”. Sendo assim, uma ação que faz parte de estratégias de marketing.

O conceito de livre é atrelado ao fato que esta metodologia é livre de softwares; apesar de usar vários softwares, não depende de nenhum especificamente, por exemplo pode se usar qualquer tipo de CRM, de sowtare de gestão de projetos, de cloud para arquivar documentos, etc.

Podemos pensar que seja também livre dos padrões ou regras tradicionais, pois é baseada em operações puramente online e remotas, o que ainda representa uma inovação no caminho rumo à Transformação Digital.

No entanto, depois de apresentar o conceito da palavra, o que realmente importa é o acrônimo, ou seja, a sigla, o que cada letra significa dentro do contexto que estamos abordando.

É isso que vai definir o processo para chegar na escalabilidade que queremos obter para a empresa. 

  • F = First
  • R = Replicate
  • E = Escalate
  • E = Elaborate

Assista também ao vídeo explicando a metodologia F.R.E.E.

Assista também o vídeo explicativo no nosso canal.

Mas o que cada letra desse acrônimo significa dentro da metodologia F.R.E.E.?

F = First

A primeira letra, “F”, significa “first”, ou, “primeiro”, em português.

Se o nosso objetivo é vender mais, temos que começar de algum lugar, fazer a primeira venda. É a partir dela que começamos a ver esse processo na prática e seguir com os próximos passos. Essa é a primeira meta. 

Nem sempre esta meta é a venda, em alguns casos pode ser o lead, ou outro tipo de KPI. O importante é entender que no início de cada projeto a estratégia precisa ter como objetivo de chegar a este KPI diferente de zero (primeira venda, primeiro lead, etc).

R = Replicate

Depois, precisamos criar uma recorrência.  O “R” é de “replicate”, ou seja, se conseguimos fazer uma venda, precisamos entender se essa venda não foi um acaso ou sazonal. Precisamos criar uma estratégia de recorrência, uma replicabilidade, para que essa venda possa acontecer nos meses seguintes, em todos os períodos.

E = Escalate

Uma vez que definimos essa recorrência, podemos pensar em escalar. O primeiro “E” é para “escalate” ou “escalabilidade“. É a etapa onde realmente conseguimos ver os números crescerem. 

Juntamente com o conceito de previsibilidade, a escalabilidade só pode ser feita a partir de dados históricos. Se não tivermos esses dados, não temos como fazer esse tipo de previsão. Assim, sem replicabilidade, não teremos uma escalabilidade.

E = Elaborate

Após isso, temos o último “E”, para “elaborate”. A elaboração do processo para ser aplicado a outras estratégias ou outros tipos de canais ou metas.

Por exemplo, trabalhando as redes sociais, podemos definir primeiramente um canal (ex Facebook) e, uma vez chegada a nossa escalabilidade, podemos aplicar o último E para elaborar um processo a partir da experiência neste canal para outro canal (ex Linkedin). Assim o trabalho no novo canal será mais eficaz pois usaremos o que aprendemos no primeiro canal.

Podemos padronizar esse processo para usar em outros objetivos.

Como dito, esta é uma metodologia que podemos aplicar tanto para uma previsibilidade de vendas quanto para geração de leads e vale para qualquer tipo de KPI.

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *