Blog
Início » Buyer Personas – A Importância de estabelecer Personas para estratégias de Marketing Digital
dez 02, 2016 |

Buyer Personas – A Importância de estabelecer Personas para estratégias de Marketing Digital

definindo-buyer-persona

Quando estamos pensando em Estratégia de Marketing vem logo aquela famosa pergunta:
– QUEM É O PÚBLICO-ALVO?

Muitos profissionais ainda respondem: MULHERES (HUMMM…), CLASSE A/B, MORADORAS DE SP, ENTRE 25 E 35 ANOS.

Vamos lá…

Quantas mulheres da classe A/B moram em São Paulo e que tem 25 e 35 anos existem?

Não to pensando em te mandar um link para o Senso, ok? Fica tranquilo.

Mas a minha provocação inicial é fazer, tanto nós da área, como os nossos clientes, pensarmos que É MUITA GENTE (quase um tiro no escuro – quem acertar, acertou, estamos no lucro)!

Diferentemquem-é-sua-persnaente de outros conteúdos de definição de Buyers Peronas que eu andei lendo, eu, particularmente, gosto bastante de começar dando exemplos que fazem a gente pensar e refletir o que podemos fazer e assim desenvolveremos mais sobre  a DEFINIÇÕES DE Buyer PERSONA:

Vai ser longuinho, mas não me abandona não! <3

Nosso Target: Mulheres, entre 25 e 40 anos de idade, que moram em SP, da classe A/B. Dentro desse circulo existem inúmeras variáveis, correto?

Por exemplo – Casadas, Gays, Bissexuais, Transsexuais, Solteiras, Noivas, namoram, mães, mães solteiras.

Classe A – porque a família tem condições, Classe A porque ela é bem sucedida, Classe A porque é casada com uma pessoa bem sucedida, ixi… muita gente dentro desse Target, gente. Rs.

Vamos pegar um bem mais específico:

  • 25 e 40 anos (ok a nossa personagem tem 27 anos) – mora perto de metrô linha Azul, em SP – é recém formada …COMECEMOS A PENSAR JUNTOS:
  • Casada? – Não
  • Tem filhos? – Sim, 1
  • Moram com o filho? – Não
  • Isso é um problema? – Sim, pois sente muita culpa de ter que ter deixado o filho na casa dos pais para conseguir estudar e trabalhar em SP.
  • Solteira? – Solteiras sim, sozinhas nunca
  • Dores? – Não conseguem bancar o filho em SP, mora com uma amiga – o que restringe o espaço para receber o filho sempre. Mesmo se voltasse para o interior, não conseguiria atuar na área de formação, que está em ascensão.
  • Ambições? – Terem uma vida saudável, conseguir ter um carro apenas para os finais de semana ir visitar o filho sem problema de logística. Ter dinheiro para viajar para fora do Brasil. Ser totalmente independente financeriamente em um curto prazo de tempo, fazendo o que ama, para poder sustentar o  filho aqui em SP e mantê-lo em uma boa escola com qualidade de vida.
  • Querem comprar carro? – Não, podem usar app para locação de carro por hora ou dia.

Persona/Personagem?  Com certeza é um nicho, certo? Mesmo sendo um nicho, muitas mulheres com esse perfil existem por aí.

 

De repente elas estão em uma comunidade trocando ideias sobre como é ser mãe solteira, viver longe da família, trabalhar em Sp de bike, como uma opção saudável que economizedefinindo-a-minha-persona dinheiro, etc. A marca que conseguir conversar com essa mulher, desenhada ali em cima, atendendo assuas  necessidades, criar um engajamento com ela, com certeza ganhará uma cliente.

Essa marca, que entendeu essa Buyer Persona, conversou com ela entendendo sua dor, mostrando as possíveis soluções para o seu problema, sendo coerente com a convicções dessa cliente, tem cliente fiel, que pode até ser uma advocate.

Um erro muito comum é a generalização do Target, como se todos fizéssemos parte de um mesmo grupo, mesmo tendo característica comuns.

Um outro exemplo:

Mulher, de 30 anos, que mora em SP, na Vila Madalena, que anda de metrô, formada.

Pode existir uma mulher dentro desse cluster que é solteira, vegetariana, lésbica, pet lovers, que viaja 2x ao ano para dentro do Brasil com os pais e o filho e desde que engravidou não foi mais para fora do Brasil.

Pode existir uma mulher dentro do mesmo cluster que é casada, está grávida, não trabalha, odeia gatos, é religiosa, nunca andou de metrô, não trabalha e viaja 2x por ano para fora do Brasil.

Será que essas duas pessoas vão consumir os mesmos produtos? Vão engajar da mesma forma? Frequentarão os mesmos ambientes? Comprarão das mesmas marcas?

Até pode ser que sim, de repente elas vão para o mesmo mercado, mas uma diferentes-buyers-personascompra Dove e a outra Gramado, uma compra cerveja artesanal e a outra suco de caixinha, uma vai consumir pensando no bebê e a outra no cachorro, entendem a diferença?

A Definição do Buyer Persona não pode ser baseada no “achismo”, ou no que você gostaria como seu cliente fosse.

Essa equação dever ser muito bem calculada para que os possíveis erros de comunicação sejam minimizados nos testes de aceitação das suas campanhas, por exemplo.

Sua empresa já deve ter clientes, certo? Quais são as dores deles? O que eles pensam em comum? Quais são as características demográficas desses clientes? Por que ele gosta de comprar o seu produto ou serviço? Por que ele precisa de soluções como a sua? Como ele reage ao Natal? Ao Black Friday?

Informações mais antropológicas e qualitativas, fazem com que a Definição da sua Buyer Persona chegue mais próximo possível do que é o seu cliente.

Você conseguirá alcançar esses preciosos nichos de clientes que você precisa falar para ver seus resultados crescerem.

Indicamos que para cada persona seja traçada uma estratégia diferente. Isso porque essas podem ter dores diferentes, logo sua comunicação não poderá ser padronizada, essa pessoa deverá identificar que sua marca está conversando com ela.

ACABOU A ERA DA MARCA/PRODUTO SER O CENTRO DA COMUNICAÇÃO.

costumer-firstO seu cliente é o centro do seu universo, sem ele você não existe, por isso, coloque-o em primeiro foco. Assim, as barreiras entre as marcas e clientes vão sendo quebradas e vão sendo criados engajamento, diálogo, conversões, recorrência de conversão e clientes fidelizados.

Ecossistema – Pense quem são os influenciadores do seu cliente. Em quem eles confiam? De quais outras marcas eles compram? O que mais os irritam? O que mais os agradam?

Todo o ambiente que influência a sua persona é relevante para sua marca também, isso poderá trazer muito insights.

Escute o seu departamento comercial, o seu vendedor, o seu gerente de relacionamento, o seu FAQ. Eles estão escutando as reclamações, as dores, as aflições dos seus clientes. Use todos esses dados ao seu favor na hora da elaboração da sua persona.

Depois de Definido a Buyer Persona, comece a desenvolver uma estratégia pautada com essa personagem no centro, escolhendo os canais, o tom da comunicação, os tipos de artigos que são interessantes escrever para essa Persona.

Feito isso, comece a atuar e MONITORE. Veja os resultados acontecerem.

Muitas vezes o volume de acessos no seu site não serão tão altos, mas com certeza, as conversões começarão a crescer. O que você acha sobre esse método que está sendo muito falado nos últimos anos?

Compartilhe sua opinião conosco!  😉

Amo as redes. Conhecimento sem hierarquia é mais que maravilhoso. Amo pessoas, amo viver, gosto de falar e de escutar. Tento, com isso, aplicar essa percepção do outro em tudo o que eu faço. Viajar proporciona o entendimento de que o mundo não gira em torno do nosso umbigo e isso é, de certa forma, libertador. Só sei que nada sei e quanto mais eu sei, menos eu sei. (Sócrates é um lindo) Paixão pelo o que eu faço, Gosto (com G) do que eu faço e Muito de MKT DIGITAL porque tudo é mensurável! Ó SEA... cola na minha! =p

..

Um comentário para “Buyer Personas – A Importância de estabelecer Personas para estratégias de Marketing Digital”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.