A escolha do Gratuito no mercado digital

A escolha do Gratuito no mercado digital

Qualquer setor em que as informações se tornem o ingrediente principal tenderá acelerar o desempenho enquanto diminui o preço. Por isso a escolha do gratuito no mercado, muitas vezes, não é vista sempre com bons olhos.

No mercado clássico vale a relação clássica demanda-oferta para determinar o preço de um produto. 

A base desta regra é a escassez da oferta. Neste modelo, quanto maior demanda, maior será o preço.

Já em situação de grande abundância a oferta cria sua própria demanda.

Uma coisa com alcance muito fácil acaba atraindo de forma quase independente da necessidade (demanda).

 Assim a gratuidade das informações cria uma tendência de mercado. 

Este é o cenário típico do mercado digital, onde se você não oferecer explicitamente, outras pessoas normalmente encontrarão uma maneira de fazê-lo.

Você não pode cobrar preços de escassez em um mercado abundante,.

A TV é um negócio de escassez (existem tantos canais), mas a Web não. 

A importância da experiência do usuário com sua marca

Usando uma terminologia mais à moda, você paga pela experiência.

A experiências memoráveis ​​são a escassez.

Eis a importância da experiência do usuário no seu site (escassez) onde a informação é gratuita (abundância).

Blog – O gratuito no mercado digital

É bom lembrar também o efeito de substituição: se um recurso se torna muito escasso e caro, ele incentiva a procura de uma substituição abundante, que afasta a demanda do recurso escasso.

Imagine não cobrar nada por um produto do qual seus concorrentes dependem para obter lucros. 

O mundo abrirá caminho à sua porta e, uma vez conseguido sua cota de mercado, você poderá vender outra coisa…

….isso até quando até o gratuito no mercado se tornar uma commodity, ai precisa brigar até para oferecer gratuitamente. 

Um exemplo disso?

O mundo do Blog. 

A cultura do Blog primeiramente impactou violentamente o universo da notícia a pagamento (jornais clássicos); depois se tornou tanto popular que até para oferecer seu conteúdo gratuito hoje você tem que competir seriamente. 

Eis o conceito de SEO para ranqueamento orgânico do seu site ou Blog nas buscas do Google.

No entanto ainda vale o lema: 

use o Free para alcançar o maior público possível e depois capitalize.

O uso do Blog incorpora este conceito. 

Um conceito parecido está na entrega do ebook gratuito no mercado onde o objetivo não é faturar sobre a entrega do livro, mas enraizar sua autoridade que você poderá capitalizar em segundo momento, vendendo o seu serviço ou produto.

Diferença entre conteúdo e meio de entrega do conteúdo

Existe uma diferença entre” conteúdo “e” meio de entrega”. Eles podem até representar mercados separados. 

O conteúdo costuma ser gratuito, mas o transporte não (você paga o serviço de internet).

Você passa muita informação, mas não cobra por ela. Cobra sempre por algo diferente da informação.

Relação entre quantidade de informação e atenção do usuário

Uma das regras mais antigas da economia é:

Toda abundância cria uma nova escassez.

Cem anos atrás, o entretenimento era escasso e o tempo era abundante; agora é o contrário.

Por exemplo, uma abundância de café gratuito no trabalho desperta a necessidade de um café muito melhor, pelo qual estamos dispostos a pagar muito.

Ao mesmo tempo, muita informação gratuita gera uma escassez de atenção à mesma.  Abundância material criou uma escassez de significado, de valor.

Como escolher a rede social para começar a comunidade

É sempre mais comum criar uma comunidade em torno de informações e conselhos gratuitos sobre um tópico específico.

Existem muitas redes sociais em que você poderia criar sua comunidade. 

Consideremos 2 casos:

  1. caso em que você (ou sua empresa) já tem uma comunidade em uma rede social
  2. caso que que você (ou sua empresa) não tenha alguma comunidade formada.

No primeiro caso, se todas as suas conexões sociais estiverem concentradas em uma rede (por exemplo no Facebook) você pode ser relutante em deixar esta redes, mesmo que ele comece a cobrar. 

Neste caso a utilidade desta rede social e é tão grande para você, que você estaria disposto a pagar por isso mais do que migrar para uma gratuita.

No segundo caso, para aqueles que ainda não construíram sua rede de conexões online, a utilidade das redes sociais populares pode parecer mais semelhante. Dada a escolha entre duas redes sociais populares – um pago e um gratuito, por exemplo – os novatos tenderiam a escolher a gratuita. 

Assim, você caso tenha uma comunidade em uma rede e queira construir uma comunidade em outra rede, é bom falar da nova comunidade para a comunidade já existente, para poder convidar quem já te conhece, para a nova comunidade. Neste último cenário, caso a nova comunidade seja em uma rede gratuíta e a comunidade anterior em uma rede paga, uma vez que você criar a nova comunidade na rede gratuíta, pode pensar em sair da rede paga.

E é por isso que o Facebook não cobra e segue não cobrando. Seus membros existentes poderiam começar a migrar e junto com novos potenciais membros.

Compartilhe!

Especialista na implementação e otimização de Processos e Marketing Digital, Engenheiro. Mais de 10 anos de experiência internacional em vários paises da Europa e América Latina. Perfil linkedin: https://br.linkedin.com/in/daniloalbadigitalmarketing

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *