Blog
Início » Dados Estruturados
jun 14, 2017 |

Dados Estruturados

Logo de Dados Estruturados.

Um assunto que não é muito recente mas que é constantemente tradado no meio de SEO são os Dados Estruturados. Caso não saiba o que é SEO, clique aqui e leia nosso artigo. 🙂

Mas o que são Dados Estruturados? Para o que servem? Como são criados? Não se preocupe, no decorrer da sua leitura você vai entender ponto a ponto o que é isso. Vamos começar então? : D

 

O que são os Dados Estruturados?

 

Por diversas vezes, quando pesquisamos algo no Google, são retornadas páginas que podem conter respostas para nossa busca. Essas, contém definições, títulos, explicitando sobre o que sua página ou site trata.

Por exemplo, vamos supor que você pesquisou no Google receitas para bolo de chocolate. Vão aparecer diversas receitas, que estão em sites diferentes muitas vezes. No entanto, todas contém informações parecidas, como o título da receita, os ingredientes da receita, o modo de preparo, e assim por diante.

Os dados estruturados, nada mais são do que a identificação  para o motor de pesquisa sobre o que cada informação da sua página significa.

É como se você especificasse para o motor de busca dizendo: Aqui é o meu título, aqui são os ingredientes, aqui é o modo de preparo.

Exemplo do motor de busca procurando informação.

E por que fazer isso?

Para que a sua página seja mais eficiente nas pesquisas, o que melhora a qualidade de pesquisa do usuário.

Afinal, se ele procura um determinado assunto, o motor de busca consegue identificar mais fácil na sua página, provavelmente seu resultado será atribuído de uma forma melhor do que o de outros, não é mesmo?

Caso queira saber mais sobre como otimizar seu site e seus resultados nas pesquisas, leia nosso artigo sobre o Google Search Console!

Vou deduzir que você deve estar gostando da ideia de o usuário acessar a sua página e não a dos outros e também deve estar pensando: Legal! Mas como eu faço isso?? Tenha calma rs, vamos descobrir isso já já.

Em um contexto mais amplo, além de ser essa definição de informações sobre o que sua página trata, também é uma especificação de contextos. Por exemplo, ajudando a identificar de quando determinado conteúdo é, ou então mostrando imagens da sua página junto aos resultados da pesquisa.

 

Como surgiu a ideia dos Dados Estruturados?

 

Icone schema.org.

Os Dados Estruturados são determinados com base no schema.org. E o que ele seria? Basicamente, é um grande catálogo dos Dados Estruturados que são aceitos mostrando como você pode utiliza-los.

Sendo uma comunidade colaborativa, tem a participação do Google, Yahoo, Microsoft e Yandex. Ou seja, esta prática está fortemente incentivada por grandes empresas do mercado de TI.

No site, você encontrará uma imensa diversividade de possíveis estruturas que podem ser implementadas. Sempre visando facilitar a identificação dos dados da sua página para o motor de busca, e claro, para que estes possam disponibilizar a informação que tem de uma forma mais relevante para o seu usuário.

 

Como implementar os Dados Estruturados no seu Site?

 

Agora vamos falar da parte mais interessante da história, o como identificar sobre o que o sua página fala! E como fazemos isso?

Primeiro você terá que identificar sobre o que a sua página trata. Pode ser desde um artigo de blog ou resenha de um livro ou filme a até eventos que você está administrando ou divulgando.

Certo, já entendemos então o propósito dos Dados Estruturados, como implementa-los então?

São disponibilizadas três formatos para inserir as informações no seu conteúdo: Microdata, RDFa ou JSON-LD.

 

O que é o formato Microdata?

 

De uma forma simples e rápida de explicar, Microdata permite que você insira  a identificação dos dados diretamente no seu código HTML5. Assim, a cada div ou section, ou article -ou a tag que for- será possível utilizar os atributos itemscope, itemtype e itemprop.

  • O atributo itemscope serve para você identificar de forma mais abrangente, qual a delimitação do item que você está falando. Sendo assim caso coloque-o em uma tag <div></div>, apenas o conteúdo pertence a ela será o foco do assunto que você está enfatizando. Vamos entender melhor com a próxima propriedade.
  • O atributo itemtype irá identificar qual é exatamente o assunto que ela trata. Isso ocorre identificando pela url de qual sessão está sendo utilizada do schema.org. Por exemplo,

<div itemscope itemtype= “http://schema.org/Movie” ></div>, identificando aqui, uma sessão de filmes.

  • E por fim, o itemprop será responsável por informações adicionais do tipo de item. Como por exemplo, seguindo o contexto de filme, você pode identificar em uma tag <h1> dentro da tag <div> que este é o nome do seu filme, assim: <h1 itemprop=”name”>Nome do Filme</h1>

 

O que é o formato RDFa?

 

Sigla para Resource Description Framework in Attributes. Semelhante com Microdata, mas, contém uma estrutura diferente. Você também vai adicionar atributos no seu código HTML5, porém o fará com os atributos vocab, typeof, property e content.

  • O vocab, você utilizará para definir a qual fonte você está utilizando, por exemplo vocab=”http://schema.org/”.
  • Já no typeof você especificará qual é a categoria que está selecionando.  No exemplo do filme, especificando <div vocab=”http://schema.org/”><span typeof=”Movie”></span></div>.
  • Com o property definiremos, assim como o nome já indica, qual a propriedade. Por exemplo: <p property=”name”>Nome do Filme</p> . E em complemente, adicionamos o content. Especificando assim: <p property=”name” content=”Nome do Filme”>Nome do Filme</p>

 

O que é o formato JSON-LD?

 

Ou Java Script Object Notation for Linked Data é um método de codificação que utiliza JSON. É recomendado tanto pelo Google quanto pelo World Wide Web Consortium Recommendation.

 

Recomendação do JSON-LD pelo Google.

 

Qual é o seu diferencial? Bom, começa por ser um script. Até então estávamos apenas adicionando atributos em tags HTML5. Agora, a implementação seria um pouco diferente. Ele foi feito para se adaptar ao RDFa, então aceita seus atributos.

Você usaria a tag <script></script> para inseri-los em sua página. Tendo propriedades como @context, @type, name e outros, como image por exemplo, para destacar uma imagem da sua página.

No entanto, sua implementação após certo  estudo, fica mais fácil.

Por quê? Porquê você pode inserir um script contendo os dados estruturados dentro da sua tag head ao invés de ficar adicionando atributos HTML5 em cada tag diferenciada.

Portanto, de certa forma é mais genérico  e mais simples. Vamos ver mais um exemplo de implementação? Da uma olhadinha:

 

<script type=”application/ld+json”>
{
“@context” : “http://schema.org/”,
“type” : “Movie”,
“name” : “Nome do Filme”,
“image”: “caminho/imagem”
}
</script>

 

Bem mais simples né?! rs

Agora você já sabe o que Dados Estruturados e sabe como implementá-los no seu site.

No nosso próximo artigo vamos conhecer algumas ferramentas que já facilitam a marcação dos Dados Estruturados – Sim! pode ficar ainda mais fácil! – e sua implementação.

Se você gostou do artigo ou tem alguma dúvida, deixei seu comentário ou entre em contato com a gente!

Até a próxima! : D

Estudante de Análise e Desenvolvimento de Sistemas na Universidade Presbiteriana Mackenzie e Assistente de Desenvolvimento na empresa de Consultoria de Marketing Digital NoTopo.

..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.